Livro: Golem e o Gênio

Acabei de ler essa gracinha.

Não me chamou atenção de primeira, nem de segunda. Mas, foi pelo título… que diabos é “golem?” Já criei meu pré julgamento achando que o gênio concedia os 3 desejos da golem ou que eles se pegavam kkkk me interessei quando vi um comentário em um blog(que não lembro o nome) e percebi que eu estava muito enganada.

Descrição Saraiva

Os confrontos e as barreiras vividas por duas culturas tão próximas, ainda que aparentemente opostas. Em GOLEM E O GÊNIO, premiado romance fantástico que a DarkSide® Books traz ao Brasil, o leitor se transporta à Nova York da virada do século XX, em uma viagem fascinante através das culturas árabe e judaica. Seus guias serão poderosos seres mitológicos. Chava é uma golem, criatura feita de barro, trazida à vida por um estranho rabino envolvido com os estudos alquímicos da Cabala. Ahmad é um gênio, ser feito de fogo, nascido no deserto sírio, preso em uma antiga garrafa de cobre por um beduíno, séculos atrás. Atraídos pelo destino à parte mais pobre de uma Manhattan construída por imigrantes, Ahmad e Chava se tornam improváveis amigos e companheiros de alma, desafiando suas naturezas opostas. Até a noite em que um terrível incidente os separa. Mas uma poderosa ameaça vai reuni-los novamente, colocando em risco suas existências e obrigando-os a fazer uma escolha definitiva.O romance de estreia de Helene Wecker reúne mitologia popular, ficção histórica e fábula mágica, entrelaçando as culturas árabe e judaica com uma narrativa inventiva e inesquecível, escrita de maneira primorosa.

Antes de mais nada, golem é uma criatura feita de barro e são feitos para proteção e força bruta. É um ser mítico artificial ligado a uma tradição mistica do judaísmo.

Agora, vamos ao livro.

Um homem chamado Otto Rotfeld, estava com 33 anos tinha o desejo de se casar e ir para a América(ele morava na Alemanha). Como ele não tinha sucesso com as mulheres, nem dinheiro(gastou tudo), nem lábia. Ele teve a ideia de ter uma golem, mas que se passasse por humana não só fisicamente mas, mentalmente também. Ele fez esse pedido(ou compra) a um velho chamado Yehudah Schaalman que gostava de artes cabalísticas e oferecia seus serviços(de qualquer tipo e natureza) em troca de recompensa. Otto pediu que a golem fosse obediente, curiosa, inteligente e fosse respeitável(não lasciva). Ele era um homem falido e o pouco que lhe restou, ele comprou a golem e as passagens de navio para recomeçar a sua vida na América. Yehudah lhe preveniu sobre despertar a golem antes de chegar a América, por ela ser uma criatura extremamente forte, não era indicado despertá-la dentro de um navio, pois não se sabia como seria a reação, ela foi criada de forma diferente( o livro não diz onde ele arranjou pele, cabelo, unhas e todo resto), mas ninguém podia saber se deu certo essa experiência. Além de falido, Otto também estava em um estágio avançado de apendicite e não resistiu, morreu no navio. Mas, antes de morrer ele despertou a golem, ela o ajudou, o médico tentou salvar, mas sem sucesso.

A golem chegou a América, sem rumo, sem criador e sem saber o que fazer, ficou vagando em Nova York. Uma curiosidade sobre os golens é que como eles foram feitos para servir, são reféns dos desejos e vontades humanas. Então, imagine como essa golem ficou em Nova York, trilouca. E isso quase lhe causou uma confusão, mas um Rabi a salvou. Ele sabia o que ela era e a ajudou, levou para casa e começou a ensinar o que ela precisava saber para estar entre os humanos e a nomeou de Chava.

Em um outro bairro, Sírio, vivia um funileiro chamado Boutros Arbeely que recebeu um pedido de concerto de uma garrafa de cobre, muito bem detalhada, porém com muitos amassos. Quando começou a passar o ferro de soldar, um choque violento o jogou para longe, quando ele se levantou havia um homem nu, no chão. Despertou transtornado perguntando por um feiticeiro que obviamente Arbeely não sabia. Segundo esse homem, o feiticeiro o prendeu em um corpo humano e colocou uma pulseira de ferro, algo letal para os gênios. Arbelly desconfiou que este sujeito fosse um Djim e ao pergunta obteve uma resposta positiva.

Djim – mais conhecido como o gênio da lâmpada(graças a Disney). Existem vários tipos de djins, do canibal ao super inteligente, do bom ao mau. Não vivem eternamente, porém vivem muito. Podem ser presos se a pessoa souber os procedimentos corretos.

O Djin só lembrava que havia sido escravo de um feiticeiro, por uns mil anos. Por ficar muito tempo ocioso, ele aprende funilaria e ajuda Arbeely, mas da sua forma. Ele consegue derreter qualquer metal e isso faz com que os trabalhos terminem mais rápidos. Arbeely dá um nome para o Djin, decide chamá-lo de Ahmad.

Por alguma coincidência do destino(ou da autora) Chava e Ahmad se encontram, se conhecem e passar a ser amigos.

O que eles não sabem até o momento é que o feiticeiro que prendeu o Djin e o velho Yehudah que fez a golem são a mesma pessoa e ele quer saber como viver eternamente e para isso está indo para Nova York colocar seu plano em prática.

Tomara que tenha continuação, adoraria. Achei muito legal a mistura das culturas, claro que no livro os humanos não se misturam e até a Golem e o Djin tem pensamento bem diferentes, mas isso não impede que eles sejam amigos e ajude um ao outro. E como sempre falo, acho muito fascinante aprender mais sobre outras culturas. Só conhecia o gênio da lâmpada de Aladim e Golem nem isso. A escritora está de parabéns.

Destaque-Vai-Lendo-800x445-Resenha-O-Golem-e-o-Gênio.jpg

 

Anúncios