Filme: Concussion

Olá, irei falar sobre esse filme fofo que assisti recentemente. Já tinha ouvido falar dele, mas não lembrava o nome, só sabia que era com o talentoso Will Smith, mas coube  a mim a sorte de encontrá-lo no Pop Corn. O filme é baseado em fatos reais e aborda um tema (o principal) importante, não tanto para nós brasileiros, mas para os americanos que respiram o futebol americano, que diga se de passagem é bem violento e causa concussões no cérebro por conta das batidas corpo a corpo dos jogadores, daí o nome do filme Concussão. Aqui no Brasil eles modificaram o nome para “Um homem entre  gigantes”, ele foi lançado em 2015.

Concussão é definida como a síndrome clínica oriunda de um trauma em geral na região da cabeça, com ausência de lesões cerebrais agudas (hemorragias, edemas, fraturas). Pode ocorrer de traumas cranianos diretos ou de traumas em outra região do corpo que levem a um movimento rápido da cabeça (desaceleração). 

Vale ressaltar que a concussao acontece em outros esportes como de contato, o boxe, MMA, o hockey e mesmo no futebol. 

Sinopse segundo  Adoro Cinema 

Dr. Bennet Omalu (Will Smith), neuropatologista forense, diagnostica um severo trauma cerebral em um jogador de futebol americano e, investigando o assunto, descobre se tratar de um mal comum entre os profissionais do esporte. Determinado a reverter o quadro e expôr para o mundo a grave situação, ele trava uma guerra contra a poderosa NFL.

Outra questões que o filme trás é por Omalu ser imigrante e negro. No filme, além do preconceito, ele sofre muitas ameaças e várias vezes menosprezam sua profissão por conta da cor e naturalidade. 

Gente, a forma como ele trata a pessoa mesmo depois de morta é de um respeito tão grande que admira. Quem já viu um corpo sendo examinado e tirando os órgãos provavelmente deve ter percebido que muitas vezes o corpo é uma carcaça. Sim, eu sei que morreu não tem volta. Mas, essa pessoa (se não fez nada de ruim) era amada por seus entes querido, tinha talentos, filhos, uma história. Ver alguém tratando um corpo dignamente é algo que ainda não tinha visto, fiquei comovida.

Dr. Omalu é aquele cara correto que você sente vontade de seguir o exemplo dele, de se espelhar. Geralmente os filmes americanos tem cientistas que são bons na profissão, mas tem problemas de socialização, drogas, relacionamento e etc., Omalu é um personagem solitário, foi para o EUA ter uma oportunidade para melhorar de vida e por conta disso se dedica avidamente a estudos sobre a sua área, e por ser legista acaba se “comunicando” mais com mortos do que com vivos e vive mais para o trabalho, no entanto ele frequenta uma igreja onde conhece sua esposa, o chefe é seu melhor amigo e ao longo do filme ele faz novas amizades. 

Em uma de suas exumações em um jogador de futebol ele descobre que a causa da morte foi por conta de concussões por causa do futebol americano, apesar deles usarem capacete as batidas são muito violentas e com o tempo o corpo não consegue se curar sozinho dessas concussões. O cérebro não toca no crânio, em uma forma bem senso comum é como se o cérebro ficasse em banho maria, porém com essas concussões o cérebro sofre esse contato não só com o cérebro, mas com suas próprias parte como o encéfalo, córtex, hipotálamo, cerebelo, dentre outros. A partir dessa descoberta, a vida de Omalu muda completamente, pois ele vai encarar o gigante americano(no sentido financeiro da palavra) que é a nfl(National Football League),  e apesar dele ser informado das consequências ele decide seguir em frente e publicar um artigo sobre os malefícios causados por causa do futebol americano que ele nomeia como encefalopatia traumática crônica(cte), logo em seguida ele passa a receber muitas ameaças, sua esposa é perseguida e perde o bebê, depois disso ele decide sair do cargo(legista de Pittsburg), se mudar e refazer sua vida em outra cidade. Passado alguns anos ele recebe uma ligação informando que mais um (dentre muitos outros) jogador de futebol havia morrido com os mesmos sintomas de cte e deixa um bilhete pedindo que o seu cérebro seja examinado. Então, a história muda pois, apesar da NFLsaber dessas complicações, não informava por  pura negligência, todavia com o bilhete a NFL não podia mais negar os acontecimentos. Omalu finalmente consegue a aprovação científica, governamental e social do seu artigo. No fim ele comenta que o o objetivo não é extinguir o futebol americano, mas sim informar a todo jovem que quer ser um jogador de futebol americano que a probabilidade que ele tenha encefalopatia traumática crônica é grande. O que no caso a NFL não informava, para evitar processos, seguro de vida e demissões e outras coisas que trouxessem muito custo e pouca renda. 

Fora isso, como todo filme clichê americano, seu patriotismo é exaltado a ponto de Omalu ser considerado um verdadeiro americano por causa das suas atitudes, kkkkkk fala sério, sabemos que a realidade sociocultural do EUA é outra, mas tudo bem. Omalu quase transforma a américa do norte em um deus. Detalhe que apesar de todo bem feito pelo doutor, ele só conseguiu a cidadania em 2015(Imagina se ele não fosse um exemplo de cidadão americano). Essa é a minha crítica, mas  a história do Dr. Bennet Omalu é algo a ser vista e aplaudida, por ele ser um exemplo de integridade independente das dificuldades. 

340074-jpg-r_1920_1080-f_jpg-q_x-xxyxx

Anúncios