Filme: Blade Runner 2049

Primeiro filme do ano de 2018, apesar de ter sido lançado em Outubro de 2017(quando não tem mais graça, eu assisto). Gente, juro que quando vi o título pensei que era um novo filme de Blade( o caçador de vampiros) kkkkkkkk louca. Mas, vamos lá. Blade runner 2049, aborda de certa forma a teoria da conspiração sobre infertilidade, vira e mexe vemos esse assunto em algum filme ou seriado, essa foi um deles.

Sinopse Adoro Cinema

California, 2049. Após os problemas enfrentados com os Nexus 8, uma nova espécie de replicantes é desenvolvida, de forma que seja mais obediente aos humanos. Um deles é K (Ryan Gosling), um blade runner que caça replicantes foragidos para a polícia de Los Angeles. Após encontrar Sapper Morton (Dave Bautista), K descobre um fascinante segredo: a replicante Rachel (Sean Young) teve um filho, mantido em sigilo até então. A possibilidade de que replicantes se reproduzam pode desencadear uma guerra deles com os humanos, o que faz com que a tenente Joshi (Robin Wright), chefe de K, o envie para encontrar e eliminar a criança.

Antes de falar sobre esse filme, vou falar do anterior para podermos entender melhor essa sinopse . O primeiro filme foi lançado em 1982, Blade Runner, o caçador de android. Em resumo, uma empresa cria um robô que é bem mais forte e ágil que o ser humano, eles são chamados de replicantes e utilizados como escravos para explorar e colonizar outros planetas. Mas, deu ruim e um grupo desses robôs mais evoluídos fazem um motim em uma colônia fora da Terra. Com essa treta formada, os replicantes se tornam ilegais na Terra, sob pena de morte. Consequentemente, policiais de um esquadrão de elite, conhecidos como Blade Runner, têm ordem de atirar para matar em replicantes encontrados na Terra, mas essa ação é chamada de remoção e não execução.  Até que, em novembro de 2019, em Los Angeles, quando cinco replicantes chegam à Terra, um ex-Blade Runner (Rick  Deckard) é encarregado de caçá-los.

Na nova filmagem(porque não chega a se, de fato, uma sequência), K é novo Rick Deckard, um exemplo de replicante. Como qualquer outro dia, K vai caçar um replicante, tem um pouco de trabalho mas, dá tudo certo. Como parte do trabalho, ele escaneia o local em que o replicante vivia e encontra uma caixa enterrada, nessa caixa continha uma ossada, que após exames é descoberto que era uma replicante que estava grávida e morreu no parto. O problema é que replicantes não reproduzem e a chefe de K o designa para encontrar a criança e matá-la para evitar problemas com os humanos. Mas, os planos dela dão errado pois, Niander Wallace é tipo o deus dessa era por ser o produtor dos replicantes, hologramas e produtos tecnológicos. Por conta disso, ele tem uma câmera em qualquer cubículo, logo ele fica sabendo sobre a criança e envia sua fiel escudeira,Luv(que mulher foda,atuando)  para achar esse milagre.

E o resto vocês saberão se assistirem. Eu sou muito suspeita para falar de filmes de ficção científica, mas eu gostei do filme por trazer o tema da sobrevivência, uma crítica a falsa felicidade, o preconceito, escravidão, sem falar nos efeitos especiais, estão de parabéns.

Trailer

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s