Qual a diferença do psicopata, serial killer e sociopata?

Oi gente, as estatísticas do WordPress não negam que vocês curtem post sobre psicopata, mas vocês sabem qual a diferença do psicopata, serial killer e sociopata? Vou falar um pouco sobre cada um, vale ressaltar que eles estão interligados por conta de alguns sintomas parecidos e o fato de uma pessoa poder ter mais de um distúrbio. Vários estudiosos nomeiam esses distúrbios de forma diferente, como essas três são as mais conhecidas, socialmente, preferi colocar dessa forma.

Psicopata

O distúrbio mais antigo e mais estudado, surgiu lá em 1809 por Pinel que de forma mais específica introduziu o conceito de “mania sem delírio” para designar aqueles sujeitos que mostravam ações atípicas e agressivas. A psicopatia é um um transtorno de personalidade: apresenta, como característica principal, uma alteração de caráter. Essa alteração faz com que indivíduos utilizem ações comportamentais patológicas para controlar e manipular pessoas com mais facilidade, o que pode resultar em danos à sociedade em geral. Algumas dessas alterações podem ser vistas na adolescência, por meio de comportamentos agressivos que são denominados de transtorno de conduta (APA, 2002; KAPLAN; SADOCK; GREBB, 2003). Por fazer parte dos transtornos de personalidade a psicopatia só pode ser diagnosticada a partir dos 18 anos de idade. Vale ressaltar que os transtornos de personalidade não são propriamente doenças, mas anormalidades do desenvolvimento psicológico que perturbam a integração psíquica de forma persistente e ocasionam no indivíduo padrões profundamente entranhados, inflexíveis e mal ajustados, tanto em relação a seus relacionamentos, quanto à percepção do ambiente e de si mesmos (KAPLAN; SADOCK; GREBB, 2003; LARANJEIRA, 2007). Após se concretizar, a psicopatia se torna um fator de risco: podem ocorrer atos infracionais, pois os indivíduos acometidos por este transtorno têm maior facilidade em utilizar charme, manipulação, mentira, violência e intimidação para controlar as pessoas e alcançar seus objetivos(APA, 2002; RICHELL ET AL., 2003; VALMIR, 1998).

Uma coisa muito importante a ser colocado nesse post é que nem todo psicopata é assassino ou serial killer, o histórico deles é maior em crimes relacionado a extorsão. Um exemplo básico: aquele cara que se relaciona com mulheres mais velhas e ricas para poder adquirir bens através da manipulação, mentira, charme, sedução, persuasão e etc.. Geralmente os psicopatas são do sexo masculino, mas também atinge as mulheres, em variados níveis, embora com características diferenciadas e menos específicas que a psicopatia que atinge os homens(depois farei um post falando sobre essas diferenças).

Serial Killer

Serial killer é uma expressão em inglês que significa “assassino em série”, na tradução para a língua portuguesa. O termo surgiu em 1840 em referência a história de um soldado francês que, durante o dia, vivia em sociedade e trabalhava normalmente, mas durante a noite invadia cemitérios para violar os mortos.  A principal característica de um serial é a sequência de assassinatos que comete, seguindo, por norma, um determinado roteiro estabelecido pelo criminoso, assim como uma “assinatura”, que caracteriza o seu crime. Para que um criminoso seja classificado como serial killer, este deve preencher alguns requisitos, como: assassinato de duas ou mais vítimas em situações isoladas, apresentar razões de cunho psicológico para seus crimes, modus operandi presente no crime, presença de uma “assinatura” deixada pelo assassino e, em muitos casos, envolvimento com ações sádicas ou sexuais. Normalmente, os serial killers apresentam um comportamento aparentemente normal, ou seja, trabalham, desempenham rotinas na sociedade e convivem com outros grupos sociais.

A diferença do assassino em massa, que mata várias pessoas de uma só vez e sem se preocupar pela identidade destas, e o assassino em série é que este elege cuidadosamente suas vítimas, selecionando, na maioria das vezes, pessoas do mesmo tipo e com características semelhantes. Aliás, o ponto mais importante para o diagnóstico de um assassino em série é um padrão geralmente bem definido no modo
como ele lida com seu crime. Com frequência, eles matam seguindo um determinado padrão, seja através de uma determinada seleção da vítima, seja de um grupo social com características definidas, como prostitutas, homossexuais, policiais etc., por exemplo. 

Sociopata

Também conhecido como distúrbio de personalidade anti social, a sociopatia se caracteriza por um egocentrismo exacerbado, que leva a uma desconsideração em relação aos sentimentos e opiniões dos outros. Um sociopata não tem apego aos valores morais e é capaz de simular sentimentos, para conseguir manipular outras pessoas. Além disso, a sua incapacidade de controlar as suas emoções negativas torna muito difícil estabelecer um relacionamento estável com outras pessoas. 

Uma das principais diferenças entre o psicopata e o sociopata é que frequentemente os psicopatas são pessoas encantadoras e populares, que muitas vezes exercem cargos de liderança e que conseguem atrair pessoas para elas próprias.

Um sociopata não é muito bom em contextos sociais, sendo muitas vezes classificado como uma pessoa antissocial. Apesar disso, o sociopata é capaz de fingir ou forçar sentimentos, parecendo estar à vontade ou contente quando na realidade não está. Por outro lado, o psicopata muitas vezes se sente confortável em grupos, vendo essa situação como uma oportunidade para manipular os outros para o seu próprio benefício.

⇒Uns extra para vocês…

  • E o que a ciência diz sobre as crianças “psicopatas”?

Transtorno de conduta é um dos nomes dado as crianças que cometem crimes. Diversos estudos dizem que crianças e jovens submetidos a experiências traumáticas (tais como abuso físico/psicológico, negligência, doença mental parental, punição excessiva e agressiva) seriam, potencialmente, mais vulneráveis à presença de traços ou sintomas de transtornos de personalidade. (Johnson et al., 2005). Todavia, existe um debate aberto sobre a nomeação do distúrbio em crianças e adolescentes, pois a ele se associam implicações jurídicas e/ou sociais significativas e entende-se que a criança é mais maleável aos tratamentos oferecidos, nem sempre existe a cura, porém existe tratamento. 

 

  • Um perfil de psicopatia indicando os traços mais significativos sobre a perturbação, segundo Cleckley. 
  1. Encanto superficial e boa inteligência;
  2. Inexistência de alucinações ou de outras manifestações de pensamento irracional;
  3. Ausência de nervosismo ou de manifestações neuróticas;
  4. Ser indigno de confiança;
  5. Ser mentiroso e insincero;
  6. Egocentrismo patológico e incapacidade para amar;
  7. Pobreza geral nas principais relações afetivas;
  8. Vida sexual impessoal, trivial e pouco integrada;
  9. Ausência de sentimentos de culpa ou de vergonha;
  10. Perda específica da intuição;
  11. Incapacidade para seguir qualquer plano de vida;
  12. Ameaças de suicídio raramente cumpridas;
  13. Raciocínio pobre e incapacidade para aprender com a experiência;
  14. Comportamento fantasioso e pouco recomendável com ou sem ingestão de bebidas alcoólicas;
  15. Incapacidade para responder na generalidade das relações interpessoais;
  16. Exibição de comportamentos anti-sociais sem escrúpulos aparentes.

Para este autor a principal característica do psicopata é a deficiente resposta afetiva face aos outros, o que explicaria a forte relação com condutas anti-sociais.

Referência

American Psychiatric Association. (2002). Manual de diagnóstico e estatística das perturbações mentais (DSM-IV-TR) (4th ed. revista). Lisboa: Climepsi Editores.

Assassinos em série. Disponível em:<http://seer.uscs.edu.br/index.php/revista_direito/article/view/923/759&gt;. Acesso em: 15.nov.2017.

Johnson, J. G., McGeoch, P. G., Caskey, V. P., Abhary, S. G., Sneed, J. R., & Bornstein, R. F. (2005). The developmental psychopathology of personality disorders. In B. L. Hankin & J. R. Z. Abela (Orgs.), Development of psychopathology: A vulnerability-stress perspective (pp. 417-464). Thousand Oaks, California: Sage Publications.

O estado de arte do conceito de psicopatia. Disponível em:<http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312010000100016. Acesso em 13. nov.2017.

Personalidade e psicopatia: implicações diagnósticas na infância e adolescência. Disponível em: <http://www.redalyc.org/html/261/26125519014/&gt; Acesso em: 15.nov.2017.

Psicopatia entre homem e mulheres. Disponível em:<http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-52672010000100003&gt;. Acesso em: 13.nov.2017.

Significados. Disponível em: <https://www.significados.com.br/serial-killer/&gt;.  Acesso em: 15 nov.2017.

Link para download de alguns livros sobre psicopata e serial killer

Diário de um psicopata

Psicopatas do cotidiano

Mentes perigosas- o psicopata mora ao lado

Ponerologia: psicopatas no poder

Serial killer

Posts relacionados

Por que psicopata gosta de música clássica?

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s