Seriado: The good Doctor

Norman voltou gente. Mentira!(kkk) quem voltou foi o ator que interpretou Norman(Freddie Higmore), no seriado Bates Motel. A série acabou de sair do forno, mas já tinha visto trailer e sinopse e me interessei e o autor dessa série é o mesmo de House, David Shore. Por falar nisso, mês de Outubro uma cacetada de seriado volta com novas temporadas, meus fins de semana vão ficar comprometidos(haha).

E porque eu gostei da série? Porque esse médico, cirurgião, é autista e tem a síndrome de savantismo, um distúrbio psíquico raro(nem queria um seriado que aborda saúde mental).

Que síndrome é essa?

Savantismo, também chamado de síndrome do sábio ou síndrome de savant, é um distúrbio psíquico. As pessoas que são portadoras dessa síndrome são dotados de memória incomum, rara, que apresentavam uma memorização requintada de datas, fatos, acontecimentos, trechos completos de livros, listas telefônicas, entre outros. Savanstismo é uma das síndromes associadas ao autismo, mas é uma característica que a minoria dos autistas possui.

Sinopse Adoro Cinema

Um jovem cirurgião diagnosticado com savantismo, um distúrbio psíquico raro, é recrutado para trabalhar na ala pedriátrica de um hospital de prestígio. Apesar do seu incrível conhecimento na área da medicina, esse médico não consegue se relacionar com o mundo à sua volta. Resta saber se esta dificuldade será um problema na hora de salvar vidas.

O que eu acho super bacana dessas séries que abordam síndromes e transtornos é mostrar o quanto isso é normal apesar da gente ter a falsa ideia de que todo mundo que passa ao nosso lado no dia dia é “normal”. Mas, é completamente ao contrário tem muita gente que nasce com algum problema, mas, também, muita gente que adquire ao longo da vida e tem gente que tem e nem sabe e sofre muito com isso. Então, a ideia é desmistificar o ideal de normalidade na sociedade, mesmo porque ela mesma não contribui para uma boa saúde mental do sujeito.  Em  2014, foi publicado um artigo na revista Cadernos de Saúde Pública, onde pesquisadores da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz) com outras instituições  investigaram a taxa de transtornos mentais comuns (como depressão e ansiedade) e suas associações com características sociodemográficas apresentadas na atenção primária de 27 unidades de saúde da família de quatro capitais brasileiras. Os resultados apontaram taxas maiores que 50% nas cidades analisadas: 51,9% no Rio de Janeiro, 53,3% em São Paulo, 64,3% em Fortaleza e 57,7% em Porto Alegre. A análise também indicou que os problemas de saúde mental são especialmente altos em mulheres, desempregados, em pessoas com baixa escolaridade e com baixa renda. Se em 2014 era cinquenta por cento, imagine hoje?! Quanto ao seriado, espero que ele seja super aceito para ser renovado.

The_Good_Doctor_2017

 

Referência

Memória e inscrições no corpo que dança. Disponível em: <http://www.portalabrace.org/vcongresso/textos/pesquisadanca/Lilian%20Freitas%20Vilela%20-%20Memorias%20e%20inscricoes%20no%20corpo%20que%20danca.pdf&gt;. Acesso em:30.Set.2017

Pesquisa mostra alta incidência de transtornos mentais na população de capitais brasileiras. Disponível em: <https://portal.fiocruz.br/pt-br/content/pesquisa-mostra-alta-incidencia-de-transtornos-mentais-na-populacao-de-quatro-capitais&gt; Acesso em: 30.Set.2017

Sanvants: 9 gênios com sérios problemas mentais

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s