Top 10 piores síndromes do mundo: #10 Síndrome de Lima

Oi gente, quem acompanha meus posts já deve ter percebido que metade do meu corpo está em saúde mental. Por conta disso sempre estou pesquisando e decidi compartilhar com vocês as 10 piores síndromes do mundo, vou começar em ordem decrescente. Pessoas, aqui não é uma lista de verdade absoluta, caso vocês discordem ou achem que falta alguma ou que não é uma das piores, comentem. Devo colocar algumas extras também.

Síndrome de Lima

É aquele criminoso que passa a ter afeto pela vítima. Ele não só sequestra a vítima, como se apega a ela. Seu oposto é a Síndrome Estocolmo.

É uma síndrome “nova” considerando o ano em que foi reconhecida, 1996. Onde,  quatorze membros do Movimento Revolucionário de Túpac Amaru(MRTA) fizeram um ataque a embaixada japonesa em Lima, Peru, e fizeram de reféns as pessoas que participavam da festa. Porém, depois de algumas horas liberou a maioria das vítimas, incluindo “os mais valiosos” por ter(ou criar) afinidade por eles.

Gente, não achei muita coisa falando sobre essa síndrome, e pensando na violência que vivemos no Brasil onde as pessoas morrem por tão pouco essa síndrome até que seria válida(kkk). Ela não é reconhecida pelo DSM-V(Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais), mesmo porque são casos bem isolados para que possa ser considerado um transtorno mental.

Referências

Japanese embassy hostage crisis. Disponível em:>https://en.wikipedia.org/wiki/Japanese_embassy_hostage_crisis<. Acesso em: 26.Set.2017

Kampusch: Identifying with kidnapper?. Disponível em: >http://www.health24.com/Columnists/Kampusch-Identifying-with-kidnapper-20120721<. Acesso em: 26.Set.2017

Continuar lendo

Anúncios

Top 10 piores síndromes do mundo: #09 Síndrome de estocolmo.

Oi gente, dando continuidade ao top 10 hoje vamos falar sobre…

Síndrome de estocolmo.

Quem nunca ouviu falar de alguém que foi agredido, abusado, estuprado e teria todos os motivos do mundo pra querer o agressor morto, mas ao invés disso a vítima passa a gostar do agressor(as vezes até casa)? Se você já ouviu algo do tipo, então ouviu falar sobre a síndrome de estocolmo, talvez só tenha nomeado de outra forma(descaração, coisa do diabo, maluco).

A sídrome de estocolmo é um estado inconsciente psicológico, onde  a pessoa que foi vítima de um crime como estupro, sequestro, agressão e etc., cria um vínculo com o agressor. O termo da síndrome ficou conhecido a partir de 1973 em que houve um assalto em Normalmstorg na agência do Kreditbanken em Estocolmo, capital da Suécia,  onde três mulheres e um homem foram reféns. O assalto durou seis dias e os reféns passaram a conviver com os dois assaltantes. Quando a polícia fez o seu plano tático para liberar os reféns, eles simplesmente não quiseram ajuda, chegando a usar o próprio corpo como escudo para os ladrões.  Alguns estudiosos afirmam que essa síndrome é um mecanismo de defesa, proteção física e psicológica do cérebro que é gerado pelo trauma e estresse da situação, se tornando uma forma de autopreservação, criando-se assim um laço afetivo e um vínculo ilusório como forma de fuga dos efeitos causados pela violência.

No entanto, essa síndrome não consta do DSM-V(Manual de Diagnóstico e Estatística dos Transtornos Mentais, 5ª edição) e por conta disso alguns especialistas acreditam ser um mito e não um mecanismo de defesa mental. Tornando um ponto negativo para um melhor tratamento e reconhecimento do problema.

Pergunta: em casos onde a mulher, mesmo sofrendo violência física continua com o agressor, pode ser a síndrome de estocolmo?

A questão da mulher que continua com o agressor muitas vezes é por questões sociais e culturais(nossa cultura é patriarcal). Muitas vezes a mulher continua com o agressor  por depender dele financeiramente e ter filhos(assunto para outro post). Pode acontecer a síndrome? sim, pode acontecer formação de vínculo entre a vítima e o agressor. Existem casos em que a vítima acredita merecer a punição, que ela fez algo para merecer a agressão e caso o agressor seja denunciado, por um parente ou vizinho, isso pode influenciar na aferição da responsabilidade penal do réu e na devida punição(porque, provavelmente ela vai testemunhar a favor ou querer tirar a denúncia).

Referências

A síndrome de estocolmo: consequências sociais e jurídicas. Disponível em:<https://repositorio.ucb.br/jspui/bitstream/123456789/8356/1/BrunaLarissaLobatoSilvaTCCGRADUACAO2014.pdf&gt; Acesso em: 25.set.2017

A violência contra a mulher e a síndrome de estocolmo: consequências de um relacionamento doentio. Disponível em:<http://santacruz.br/ojs/index.php/JICEX/article/view/1146/1627&gt; Acesso em: 25.set.2017

Continuar lendo

Livro: Nocte

Hello, acabei de ler o livro nocte(noite em latim) e vou comentar um pouco. Me interessei por ele por ser curto(kkk) e ter dois personagens com problemas de saúde mental(opa). Descobri que é uma trilogia: Nocte, Verum e Lux. Então, se você não curte coisas pela metade melhor nem ler esse post(kkk). Mas, decidi falar sobre o primeiro livro por ele ser bom e já estou lendo o segundo. Os livros são da Courtney Cole, ela tem mais de 25 livros lançados(aqui no Brasil tem poucos). Eu procurei os livro físicos(da trilogia) e não achei, porém tem em epub.

“Meu nome é Calla Price. Eu tenho 18 anos de idade e eu sou uma metade de um todo.
Minha outra metade – meu irmão gêmeo, meu Finn – é um louco.
Eu o amo. Mais do que a vida. Mais do que qualquer coisa. E mesmo que eu tenha pavor que ele vá me derrubar com ele, ninguém pode salvá-lo, exceto eu.
Eu estou fazendo tudo que posso para permanecer à deriva em um mar de insanidade, mas estou me afogando mais e mais a cada dia. Então eu chego à uma tábua de salvação.
Dare DuBray.
Ele é o meu salvador e meu anticristo. Seus braços são o lugar onde eu me sinto segura, onde estou com medo, onde pertenço, onde estou perdida. Ele vai me curar, me quebrar, me amar e me odiar.
Ele tem o poder de me destruir.
Talvez isso seja bom. Porque eu não consigo salvar Finn e amar Dare sem que todos se machuquem.
Por quê? Por causa de um segredo.
Um segredo que estou tão ocupada tentando descobrir, que nunca o vi chegar.
Nem você.”

Antes de começar vale explicar que lá nos Eua(para quem não sabe) as pessoas podem ter seu próprio negócio(não todos) em casa, um profissional de psicologia pode atender em casa, por exemplo, nesse livro a família tem uma funerária em casa.

Calla é uma adolescente de 18 anos e tem um irmão gêmeo chamado Finn, em um dia chuvoso ela liga para mãe, está preocupada com a decisão dos pais em separá-la do irmão quando começassem a faculdade por acreditar que Finn não pode ficar sozinho. Por estar chovendo muito, sua mãe está com pouca visibilidade e infelizmente se envolve em um acidente fatal.

Calla sente-se muito culpada, pois acredita que se ela não tivesse ligado, sua mãe estaria viva. Apesar de toda dor e sofrimento ela consegue sobreviver com seu irmão e pai. Seu irmão, Finn foi diagnosticado com transtorno esquizoafetivo, Calla sempre cuidou dele e após o falecimento da mãe ela se tornou a guardiã de Finn. Ele frequenta um grupo terapêutico(de luto) e ela sempre acompanha ele, para o caso dele querer conversar sobre algo, porém nunca participa. Em uma dessas visitas ela conhece Dare, o boy da sua vida.

Como falei acima, eles têm uma funerária na própria casa, para adolescentes em período escolar isso não é nada popular, ao contrário é um motivo de bullying. Então, por ai você pode imaginar que Finn e Calla não tinham amigos, eles eram conhecidos pela profissão do pai e vistos como pessoas estranhas. Quando Dare(que é descrito como um cara bem bonito) aparece e está interessado nela, Calla nem acredita e também não perde a oportunidade(garota esperta) e investe no boy magia, mas Finn começa a ficar estranho e ela acredita que está deixando seu irmão de lado pra ficar mais tempo com Dare e por conta disso seu irmão está esquisito.

A situação vai piorando até chegar o ponto de Finn querer se suicidar e nesse momento Calla descobre uma grande mentira e uma nova verdade. E chega(kkk), pra não dar spoiler demais. Quando terminei o livro fiquei tipo?

downloadComo assim, Brasil?!

Nem sei o que esperar nesse segundo livro, não de forma negativa mas, a leitura foi tão envolvente e tava achando que já tinha sacado a história toda kkkkkkk trouxa. Ah uma coisa que achei interessante é que a autora trás a questão das vozes. Uma pessoa diagnosticada com transtorno esquizoafetivo tem sintomas tanto de esquizofrenia quanto de transtorno de humor. Um dos sintomas da esquizofrenia é a alucinação e delírio e ela explorou a questão trazendo as vozes(pode ser só uma também). Também tem a questão do sujeito dizer que tem alguém com ele e tal. Não existe uma regra pra o que ele pode ver ou ouvir dentro da alucinação e/ou delírio. Essa trilogia seria uma boa pedida para se tornar filme.

“Não há nada tão terrível como a descensão da mente humana à loucura.” Calla Price

 

D_Q_NP_932911-MLB25552543413_042017-Q

 

 

Seriado: Midnight, Texas.

Oi gente, descobri esse seriado há algumas semanas e vou comentar um pouco. Ela está na primeira temporada e sendo reproduzido e produzido. Seu gênero é drama, suspense e fantasia.

Sinopse Adoro Cinema

Midnight é uma cidade remota no meio do Texas que serve de abrigo para diversos tipos de desajustados, de assassinos de aluguel a vampiros, passando por médiuns, lobisomens e vampiros. Os cidadãos encontram uns nos outros a aceitação que o resto do mundo sempre lhes recusou quando as ameaças externas á cidade os levam a se unir cada vez mais.

O personagem principal é Manfred que é médium. O seriado começa com ele fugindo para Midnight por sugestão da sua vó que morreu, mas seu espírito continua no trailer(assuntos não resolvidos). Acreditando que lá vai ficar em paz e conseguir se esconder, o que ele não sabia é que essa cidade é como se fosse um abrigo para pessoas que tem algum tipo de poder sobrenatural ou algo do tipo. Além disso, Midnight é como se fosse a porta para a terra, ou seja, uma cidade badalada de forma não legal. Vale ressaltar que ele também encontra o amor da sua vida, o que definitivamente o convence a ficar. Manfred tem um bom coração, mas tem muitos problemas por ver espíritos com frequência, um deles é sentir muita dor de cabeça, então ele toma remédios durante todo o dia(até que termina e ele não tem money pra comprar).

Desde que Manfred chegou ao local, as coisas veem piorando, ele vê espíritos com muita frequência, aparecem animais mortos e todo tipo de criatura aparece e comenta que Midnight estava chamando, em uma determinada situação ele descobre que existe um anjo(caído) em na cidade e ele sabe o que está acontecendo, na verdade existe uma profecia. O que rola é o seguinte: existe um véu em Midnight, de proteção, e está se desgastando, logo, o mal é atraído para essa cidade. Mas, quando esse véu começar a se desgastar, um herói surgirá, ele liderará um exército para lutar contra o mal que surge e selará o véu para sempre. Esse homem tem o dom da visão, que pode conectar os mundos entre os vivos e mortos, ou seja, esse cara é Manfred!

Até então, existe um demônio, Colconnar,  que quer tomar Midnight, pelo menos é que eles acham, na verdade o demônio quer uma bruxa virgem que mora na cidade, Fiji. Ela é muito poderosa e por ser virgem se torna um prato cheio, ele quer tomar os poderes dela e ter algo parecido com romance. Ainda não se sabe o que vai acontecer, vou  continuar assistindo.

Bom, a série não é lá essas coisas todas, mas achei legal pelo fato de tentar fugir do normal e da aceitação. Todo mundo tem uma história ruim, mas eles sabem respeitar as diferenças e são unidos, um ajuda o outro. Achei interessante que tem um vampiro que se alimenta da energia também, tipo um vampíncubo. As pessoas que são “comuns” vivem bem na cidade e são protegidos pelos que tem algum poder. Em resumo, eles são mais unidos que muitas famílias.

Trailer abaixo.