Qual a diferença do psicopata, serial killer e sociopata?

Oi gente, as estatísticas do WordPress não negam que vocês curtem post sobre psicopata, mas vocês sabem qual a diferença do psicopata, serial killer e sociopata? Vou falar um pouco sobre cada um, vale ressaltar que eles estão interligados por conta de alguns sintomas parecidos e o fato de uma pessoa poder ter mais de um distúrbio. Vários estudiosos nomeiam esses distúrbios de forma diferente, como essas três são as mais conhecidas, socialmente, preferi colocar dessa forma.

Psicopata

O distúrbio mais antigo e mais estudado, surgiu lá em 1809 por Pinel que de forma mais específica introduziu o conceito de “mania sem delírio” para designar aqueles sujeitos que mostravam ações atípicas e agressivas. A psicopatia é um um transtorno de personalidade: apresenta, como característica principal, uma alteração de caráter. Essa alteração faz com que indivíduos utilizem ações comportamentais patológicas para controlar e manipular pessoas com mais facilidade, o que pode resultar em danos à sociedade em geral. Algumas dessas alterações podem ser vistas na adolescência, por meio de comportamentos agressivos que são denominados de transtorno de conduta (APA, 2002; KAPLAN; SADOCK; GREBB, 2003). Por fazer parte dos transtornos de personalidade a psicopatia só pode ser diagnosticada a partir dos 18 anos de idade. Vale ressaltar que os transtornos de personalidade não são propriamente doenças, mas anormalidades do desenvolvimento psicológico que perturbam a integração psíquica de forma persistente e ocasionam no indivíduo padrões profundamente entranhados, inflexíveis e mal ajustados, tanto em relação a seus relacionamentos, quanto à percepção do ambiente e de si mesmos (KAPLAN; SADOCK; GREBB, 2003; LARANJEIRA, 2007). Após se concretizar, a psicopatia se torna um fator de risco: podem ocorrer atos infracionais, pois os indivíduos acometidos por este transtorno têm maior facilidade em utilizar charme, manipulação, mentira, violência e intimidação para controlar as pessoas e alcançar seus objetivos(APA, 2002; RICHELL ET AL., 2003; VALMIR, 1998).

Uma coisa muito importante a ser colocado nesse post é que nem todo psicopata é assassino ou serial killer, o histórico deles é maior em crimes relacionado a extorsão. Um exemplo básico: aquele cara que se relaciona com mulheres mais velhas e ricas para poder adquirir bens através da manipulação, mentira, charme, sedução, persuasão e etc.. Geralmente os psicopatas são do sexo masculino, mas também atinge as mulheres, em variados níveis, embora com características diferenciadas e menos específicas que a psicopatia que atinge os homens(depois farei um post falando sobre essas diferenças).

Serial Killer

Serial killer é uma expressão em inglês que significa “assassino em série”, na tradução para a língua portuguesa. O termo surgiu em 1840 em referência a história de um soldado francês que, durante o dia, vivia em sociedade e trabalhava normalmente, mas durante a noite invadia cemitérios para violar os mortos.  A principal característica de um serial é a sequência de assassinatos que comete, seguindo, por norma, um determinado roteiro estabelecido pelo criminoso, assim como uma “assinatura”, que caracteriza o seu crime. Para que um criminoso seja classificado como serial killer, este deve preencher alguns requisitos, como: assassinato de duas ou mais vítimas em situações isoladas, apresentar razões de cunho psicológico para seus crimes, modus operandi presente no crime, presença de uma “assinatura” deixada pelo assassino e, em muitos casos, envolvimento com ações sádicas ou sexuais. Normalmente, os serial killers apresentam um comportamento aparentemente normal, ou seja, trabalham, desempenham rotinas na sociedade e convivem com outros grupos sociais.

A diferença do assassino em massa, que mata várias pessoas de uma só vez e sem se preocupar pela identidade destas, e o assassino em série é que este elege cuidadosamente suas vítimas, selecionando, na maioria das vezes, pessoas do mesmo tipo e com características semelhantes. Aliás, o ponto mais importante para o diagnóstico de um assassino em série é um padrão geralmente bem definido no modo
como ele lida com seu crime. Com frequência, eles matam seguindo um determinado padrão, seja através de uma determinada seleção da vítima, seja de um grupo social com características definidas, como prostitutas, homossexuais, policiais etc., por exemplo. 

Sociopata

Também conhecido como distúrbio de personalidade anti social, a sociopatia se caracteriza por um egocentrismo exacerbado, que leva a uma desconsideração em relação aos sentimentos e opiniões dos outros. Um sociopata não tem apego aos valores morais e é capaz de simular sentimentos, para conseguir manipular outras pessoas. Além disso, a sua incapacidade de controlar as suas emoções negativas torna muito difícil estabelecer um relacionamento estável com outras pessoas. 

Uma das principais diferenças entre o psicopata e o sociopata é que frequentemente os psicopatas são pessoas encantadoras e populares, que muitas vezes exercem cargos de liderança e que conseguem atrair pessoas para elas próprias.

Um sociopata não é muito bom em contextos sociais, sendo muitas vezes classificado como uma pessoa antissocial. Apesar disso, o sociopata é capaz de fingir ou forçar sentimentos, parecendo estar à vontade ou contente quando na realidade não está. Por outro lado, o psicopata muitas vezes se sente confortável em grupos, vendo essa situação como uma oportunidade para manipular os outros para o seu próprio benefício.

⇒Uns extra para vocês…

  • E o que a ciência diz sobre as crianças “psicopatas”?

Transtorno de conduta é um dos nomes dado as crianças que cometem crimes. Diversos estudos dizem que crianças e jovens submetidos a experiências traumáticas (tais como abuso físico/psicológico, negligência, doença mental parental, punição excessiva e agressiva) seriam, potencialmente, mais vulneráveis à presença de traços ou sintomas de transtornos de personalidade. (Johnson et al., 2005). Todavia, existe um debate aberto sobre a nomeação do distúrbio em crianças e adolescentes, pois a ele se associam implicações jurídicas e/ou sociais significativas e entende-se que a criança é mais maleável aos tratamentos oferecidos, nem sempre existe a cura, porém existe tratamento. 

 

  • Um perfil de psicopatia indicando os traços mais significativos sobre a perturbação, segundo Cleckley. 
  1. Encanto superficial e boa inteligência;
  2. Inexistência de alucinações ou de outras manifestações de pensamento irracional;
  3. Ausência de nervosismo ou de manifestações neuróticas;
  4. Ser indigno de confiança;
  5. Ser mentiroso e insincero;
  6. Egocentrismo patológico e incapacidade para amar;
  7. Pobreza geral nas principais relações afetivas;
  8. Vida sexual impessoal, trivial e pouco integrada;
  9. Ausência de sentimentos de culpa ou de vergonha;
  10. Perda específica da intuição;
  11. Incapacidade para seguir qualquer plano de vida;
  12. Ameaças de suicídio raramente cumpridas;
  13. Raciocínio pobre e incapacidade para aprender com a experiência;
  14. Comportamento fantasioso e pouco recomendável com ou sem ingestão de bebidas alcoólicas;
  15. Incapacidade para responder na generalidade das relações interpessoais;
  16. Exibição de comportamentos anti-sociais sem escrúpulos aparentes.

Para este autor a principal característica do psicopata é a deficiente resposta afetiva face aos outros, o que explicaria a forte relação com condutas anti-sociais.

Referência

American Psychiatric Association. (2002). Manual de diagnóstico e estatística das perturbações mentais (DSM-IV-TR) (4th ed. revista). Lisboa: Climepsi Editores.

Assassinos em série. Disponível em:<http://seer.uscs.edu.br/index.php/revista_direito/article/view/923/759&gt;. Acesso em: 15.nov.2017.

Johnson, J. G., McGeoch, P. G., Caskey, V. P., Abhary, S. G., Sneed, J. R., & Bornstein, R. F. (2005). The developmental psychopathology of personality disorders. In B. L. Hankin & J. R. Z. Abela (Orgs.), Development of psychopathology: A vulnerability-stress perspective (pp. 417-464). Thousand Oaks, California: Sage Publications.

O estado de arte do conceito de psicopatia. Disponível em:<http://www.scielo.mec.pt/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0870-82312010000100016. Acesso em 13. nov.2017.

Personalidade e psicopatia: implicações diagnósticas na infância e adolescência. Disponível em: <http://www.redalyc.org/html/261/26125519014/&gt; Acesso em: 15.nov.2017.

Psicopatia entre homem e mulheres. Disponível em:<http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809-52672010000100003&gt;. Acesso em: 13.nov.2017.

Significados. Disponível em: <https://www.significados.com.br/serial-killer/&gt;.  Acesso em: 15 nov.2017.

Continuar lendo

Anúncios

Tag de Halloween: porque os demônios aparecem ás 03h?

Happy Halloween meu povo! Em homenagem ao dia, irei falar sobre a hora do demônio que uma galerinha se pela de medo. Eu não acredito nessas coisas, mas não é por isso que deixarei de falar(Tem que acredite).

Provavelmente em algum filme de terror em que você estava assistindo quando um demônio, espírito, entidade e etc., aparecia era ás 03h. A teoria dos estudiosos sobrenaturais é que existe um horário em que a cortina do nosso mundo e do deles é erguida e eles conseguem ter acesso e se tornar mais forte e as pessoas suscetíveis aos tormentos.

Muitos acreditam que esse horário foi escolhido porque Jesus morreu ás 15h da tarde  e esta hora tornou-se a hora simbólica de Jesus. Três da madrugada seria a hora oposta, ou seja, a hora maligna. Essa á e teoria mais aceita aqui no Brasil. Nos EUA, eles já acreditam que 03h seria o horário da trindade, porque eles não usam o relógio de 24 horas, mas sim o de 12, e escrevem na frente da hora o AM e o PM, que significam, respectivamente, “Ante Meridium” e “Post Meridium”, isto é, antes e depois do meio-dia (em inglês, “before midday” ou “after midday”). ex: 2:00 AM = 2:00 h (duas da madrugada) 2:00 PM = 14:00 h (duas da tarde). 

Para o mago Mr. Tlaloc é um erro afirmar que 03:00 P.M (três da tarde) é o horário da trindade, afinal 03:00 pm equivale às “15:00h” e 15 é o número místico de SATANÁS e “15 no TAROT é o Diabo”. Então, o horário da TRINDADE seria 03:00 h da manhã e 15:00 h é o horário do Diabo lá nos EUA.

2006-20151029-Skull-Ghost

 

Referência

3:00 da Manhã: A Hora do Demônio. Disponível em:<http://www.assombrado.com.br/2013/09/300-da-manha-hora-do-demonio.html&gt; Acesso em: 31. Out.2017

 

Top 10 piores síndromes do mundo: #8 Síndrome de Diógenes

A síndrome de Diógenes (SD) caracteriza-se por descuido extremo com a higiene pessoal,
negligência com o asseio da própria moradia, isolamento social, suspeição e comportamento paranóico, sendo frequente a ocorrência de colecionismo

Diógenes foi um filósofo que nasceu em Sínope no ano de 413 – 323 a.C. , foi aluno de Antístenes (discípulo de Sócrates) depois de muito insistir. Diógenes vivia como mendigo em um barril e usava somente uma túnica, lambia água das poças, ficou conhecido como Diógenes, o cão.  Sua linha de pensamento era naturalista  foi destaque e símbolo do Cinismo pois tornou sua filosofia uma forma de viver radical. Seu mestre Antístenes, criador da escola Cínica (do grego Kynikos, cão, como os atenienses se referiam a eles como cães de rua, sem riquezas, e bens materiais), sua escola é o próprio mundo, ágoras, praças públicas, montes e campos.  Os Cínicos pregavam o desapego dos bens materiais, contestavam o matrimônio, a convivência em sociedade e se declaravam cidadãos do mundo. O modo de viver de Diógenes inspirou a psiquiatria em 1975, a nomear um transtorno psiquiátrico de “Síndrome de Diógenes”

A síndrome tem  a incidência anual  de 5/10.000 entre aqueles acima de 60 anos, e pelo menos a metade é portadora de demência ou algum outro transtorno psiquiátrico.  A síndrome acomete indivíduos pertencentes a todas as classes sociais e parece ser igualmente prevalente entre homens e mulheres. Apesar de ser conhecida como
uma doença da terceira idade, existem relatos de SD em adultos jovens.

É uma condição grave, com elevada mortalidade por problemas clínicos que requer uma abordagem multiprofissional, porém atualmente, não há medicações ou opções de terapia reconhecidas ou recomendadas especificamente para o manejo da síndrome de Diógenes. Medicamentos concebidos ou prescritos para tratar outras condições médicas podem ajudar a aliviar os sintomas, como paranoia ou mania.

“Quanto mais procuro por homens honestos, mais admiro meus cachorros.” Diógenes de Sínope.

Referência 

Conheça Diógenes de Sínope, o cínico que calou Platão. Disponível em: http://socientifica.com.br/2016/11/conheca-diogenes-de-sinope-o-cinico-que-calou-platao/ Acesso em: 30 out. 2017

Diógenes de Sínope. Disponível em: https://www.infoescola.com/filosofos/diogenes-de-sinope/. Acesso em: 30.Out.2017

Síndrome de Diógenes. Disponível em :<http://www.scielo.br/pdf/jbpsiq/v59n2/a12v59n2.pdf>Acesso em: 30.Out.2017.

 

Seriado: Absentia

Vamos de seriado novo, minha gente. Quando assisti o primeiro episódio, as primeiras cenas me lembraram Jogos Mortais(rola tortura), me deu uma agonia. A personagem principal,Emily, foi torturada por seis anos(pelo amor do que você acredita, como ela suportou?). E só foi encontrada porque o sequestrador, Harlow, quis.

Sinopse Adoro Cinema

Emily Byrne (Stana Katic) é uma agente do FBI que assume a difícil missão de capturar um dos assassinos mais perigosos de Boston, mas, durante as investigações, ela acaba desaparecendo sem deixar pistas. Seis anos depois, ela é encontrada quase sem vida e sem memória dentro de uma cabana no meio da floresta. Ao voltar para a sua vida normal, no entanto, Emily descobre que além de seu marido ter se casado com outra mulher, levar uma vida longe de casos criminais será um sonho distante para ela.

O que mais me deu agonia,(como falei acima, é que pelo sofrimento ter sido tão grande, seu cérebro achou uma forma de se proteger. E ela tem lapsos de memória e flash de cenas, também, e todas são bem ruins, Harlow a torturou de todas as formas possíveis. O sequestrador é um psicopata em série e sua assinatura é cortar os cílios das vítimas depois de matá-las, mas Ellen foi uma vítima especial por ser do FBI. Ele a deixou sobreviver, mas ninguém sabe ao certo porque. Quando ele deu a notícia para Nick(ex esposo de Emily), informou que era uma segunda chance. Mas, tem  muita coisa por trás, porque aparecem outras pistas e testemunhas(forjadas) que contam outra versão, muita gente envolvida, inclusive um federal corrupto.

Outra questão bem delicada é sobre a família, quando Ellen desapareceu seu filho era um bebê, seu marido casou novamente(por acreditar que ela estava morta), e por cinta disso o filho de Emily tem a madrasta como mãe. Apesar de Nick ter se casado, ainda rola alguma coisa por Ellen, porém ele  conseguiu refazer sua vida e com a descoberta que ela está viva, tudo desmorona.

No mais, achei uma série super interessante, ela não é esses dramas policiais que vemos sempre. Emily é uma vítima ativa, apesar de estar bem acabada mentalmente e fisicamente. E quando parece que o FBI evoluiu um pouco, na verdade só andou em círculos.

Absentia-poster

Seriado: The good Doctor

Norman voltou gente. Mentira!(kkk) quem voltou foi o ator que interpretou Norman(Freddie Higmore), no seriado Bates Motel. A série acabou de sair do forno, mas já tinha visto trailer e sinopse e me interessei e o autor dessa série é o mesmo de House, David Shore. Por falar nisso, mês de Outubro uma cacetada de seriado volta com novas temporadas, meus fins de semana vão ficar comprometidos(haha).

E porque eu gostei da série? Porque esse médico, cirurgião, é autista e tem a síndrome de savantismo, um distúrbio psíquico raro(nem queria um seriado que aborda saúde mental).

Que síndrome é essa?

Savantismo, também chamado de síndrome do sábio ou síndrome de savant, é um distúrbio psíquico. As pessoas que são portadoras dessa síndrome são dotados de memória incomum, rara, que apresentavam uma memorização requintada de datas, fatos, acontecimentos, trechos completos de livros, listas telefônicas, entre outros. Savanstismo é uma das síndromes associadas ao autismo, mas é uma característica que a minoria de autistas possui.

Sinopse Adoro Cinema

Um jovem cirurgião diagnosticado com savantismo, um distúrbio psíquico raro, é recrutado para trabalhar na ala pedriátrica de um hospital de prestígio. Apesar do seu incrível conhecimento na área da medicina, esse médico não consegue se relacionar com o mundo à sua volta. Resta saber se esta dificuldade será um problema na hora de salvar vidas.

O que eu acho super bacana dessas séries que abordam síndromes e transtornos é mostrar o quanto isso é normal apesar da gente ter a falsa ideia de que todo mundo que passa ao nosso lado no dia dia é “normal”. Mas, é completamente ao contrário tem muita gente que nasce com algum problema, mas, também, muita gente que adquire ao longo da vida e tem gente que tem e nem sabe e sofre muito com isso. Então, a ideia é desmistificar o ideal de normalidade na sociedade, mesmo porque ela mesma não contribui para uma boa saúde mental do sujeito.  Em  2014, foi publicado um artigo na revista Cadernos de Saúde Pública, onde pesquisadores da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp/Fiocruz) com outras instituições  investigaram a taxa de transtornos mentais comuns (como depressão e ansiedade) e suas associações com características sociodemográficas apresentadas na atenção primária de 27 unidades de saúde da família de quatro capitais brasileiras. Os resultados apontaram taxas maiores que 50% nas cidades analisadas: 51,9% no Rio de Janeiro, 53,3% em São Paulo, 64,3% em Fortaleza e 57,7% em Porto Alegre. A análise também indicou que os problemas de saúde mental são especialmente altos em mulheres, desempregados, em pessoas com baixa escolaridade e com baixa renda. Se em 2014 era cinquenta por cento, imagine hoje?! Quanto ao seriado, espero que ele seja super aceito para ser renovado.

The_Good_Doctor_2017

 

Referência

Memória e inscrições no corpo que dança. Disponível em: <http://www.portalabrace.org/vcongresso/textos/pesquisadanca/Lilian%20Freitas%20Vilela%20-%20Memorias%20e%20inscricoes%20no%20corpo%20que%20danca.pdf&gt;. Acesso em:30.Set.2017

Pesquisa mostra alta incidência de transtornos mentais na população de capitais brasileiras. Disponível em: <https://portal.fiocruz.br/pt-br/content/pesquisa-mostra-alta-incidencia-de-transtornos-mentais-na-populacao-de-quatro-capitais&gt; Acesso em: 30.Set.2017

Continuar lendo

Top 10 piores síndromes do mundo: #10 Síndrome de Lima

Oi gente, quem acompanha meus posts já deve ter percebido que metade do meu corpo está em saúde mental. Por conta disso sempre estou pesquisando e decidi compartilhar com vocês as 10 piores síndromes do mundo, vou começar em ordem decrescente. Pessoas, aqui não é uma lista de verdade absoluta, caso vocês discordem ou achem que falta alguma ou que não é uma das piores, comentem. Devo colocar algumas extras também.

Síndrome de Lima

É aquele criminoso que passa a ter afeto pela vítima. Ele não só sequestra a vítima, como se apega a ela. Seu oposto é a Síndrome Estocolmo.

É uma síndrome “nova” considerando o ano em que foi reconhecida, 1996. Onde,  quatorze membros do Movimento Revolucionário de Túpac Amaru(MRTA) fizeram um ataque a embaixada japonesa em Lima, Peru, e fizeram de reféns as pessoas que participavam da festa. Porém, depois de algumas horas liberou a maioria das vítimas, incluindo “os mais valiosos” por ter(ou criar) afinidade por eles.

Gente, não achei muita coisa falando sobre essa síndrome, e pensando na violência que vivemos no Brasil onde as pessoas morrem por tão pouco essa síndrome até que seria válida(kkk). Ela não é reconhecida pelo DSM-V(Manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais), mesmo porque são casos bem isolados para que possa ser considerado um transtorno mental.

Referências

Japanese embassy hostage crisis. Disponível em:>https://en.wikipedia.org/wiki/Japanese_embassy_hostage_crisis&lt;. Acesso em: 26.Set.2017

Kampusch: Identifying with kidnapper?. Disponível em: >http://www.health24.com/Columnists/Kampusch-Identifying-with-kidnapper-20120721&lt;. Acesso em: 26.Set.2017

Top 10 piores síndromes do mundo: #09 Síndrome de estocolmo.

Oi gente, dando continuidade ao top 10 hoje vamos falar sobre…

Síndrome de estocolmo.

Quem nunca ouviu falar de alguém que foi agredido, abusado, estuprado e teria todos os motivos do mundo pra querer o agressor morto, mas ao invés disso a vítima passa a gostar do agressor(as vezes até casa)? Se você já ouviu algo do tipo, então ouviu falar sobre a síndrome de estocolmo, talvez só tenha nomeado de outra forma(descaração, coisa do diabo, maluco).

A sídrome de estocolmo é um estado inconsciente psicológico, onde  a pessoa que foi vítima de um crime como estupro, sequestro, agressão e etc., cria um vínculo com o agressor. O termo da síndrome ficou conhecido a partir de 1973 em que houve um assalto em Normalmstorg na agência do Kreditbanken em Estocolmo, capital da Suécia,  onde três mulheres e um homem foram reféns. O assalto durou seis dias e os reféns passaram a conviver com os dois assaltantes. Quando a polícia fez o seu plano tático para liberar os reféns, eles simplesmente não quiseram ajuda, chegando a usar o próprio corpo como escudo para os ladrões.  Alguns estudiosos afirmam que essa síndrome é um mecanismo de defesa, proteção física e psicológica do cérebro que é gerado pelo trauma e estresse da situação, se tornando uma forma de autopreservação, criando-se assim um laço afetivo e um vínculo ilusório como forma de fuga dos efeitos causados pela violência.

No entanto, essa síndrome não consta do DSM-V(Manual de Diagnóstico e Estatística dos Transtornos Mentais, 5ª edição) e por conta disso alguns especialistas acreditam ser um mito e não um mecanismo de defesa mental. Tornando um ponto negativo para um melhor tratamento e reconhecimento do problema.

Pergunta: em casos onde a mulher, mesmo sofrendo violência física continua com o agressor, pode ser a síndrome de estocolmo?

A questão da mulher que continua com o agressor muitas vezes é por questões sociais e culturais(nossa cultura é patriarcal). Muitas vezes a mulher continua com o agressor  por depender dele financeiramente e ter filhos(assunto para outro post). Pode acontecer a síndrome? sim, pode acontecer formação de vínculo entre a vítima e o agressor. Existem casos em que a vítima acredita merecer a punição, que ela fez algo para merecer a agressão e caso o agressor seja denunciado, por um parente ou vizinho, isso pode influenciar na aferição da responsabilidade penal do réu e na devida punição(porque, provavelmente ela vai testemunhar a favor ou querer tirar a denúncia).

Referências

A síndrome de estocolmo: consequências sociais e jurídicas. Disponível em:<https://repositorio.ucb.br/jspui/bitstream/123456789/8356/1/BrunaLarissaLobatoSilvaTCCGRADUACAO2014.pdf&gt; Acesso em: 25.set.2017

A violência contra a mulher e a síndrome de estocolmo: consequências de um relacionamento doentio. Disponível em:<http://santacruz.br/ojs/index.php/JICEX/article/view/1146/1627&gt; Acesso em: 25.set.2017

Continuar lendo